Soprador de ar quente

  1. Temperatura e fluxo de ar adequados

    A configuração da temperatura de um soprador de ar quente depende do trabalho a fazer. O fluxo de ar também é importante. Isso depende do material e da velocidade do trabalho. Irá obter os melhores resultados com a configuração adequada de temperatura e fluxo de ar.
  2. De forma geral, a temperatura mais elevada é adequada para soldar ou descongelar tubos de água, podendo ser usada também para eliminar tinta. A temperatura mais baixa é ideal para secar tinta e moldar plástico. Faça um teste numa parte impercetível da peça de trabalho com a temperatura mais baixa, aumentando-a gradualmente até obter o resultado desejado. A temperatura irá depender do trabalho a fazer. Ao retirar esmalte ou tinta com um soprador de ar quente, irá ver a tinta a amolecer e a formar bolhas quando atingir a temperatura adequada. Depois, será fácil raspar a tinta. Se deseja soldar tubos de cobre com um soprador de ar quente, saberá que atingiu a temperatura adequada quando o fio de soldadura começar a derreter nas juntas.
  3. Uma vez mais, deve testar diferentes temperaturas com o soprador de ar quente para obter os melhores resultados. Se deseja aquecer uma parte específica da zona de trabalho, como ao soldar pequenas chapas de impressão, irá trabalhar normalmente com um fluxo de ar baixo. Nestes casos, não queremos aquecer a restante superfície. Se utilizar um soprador de ar quente para acender lume num churrasco ou para retirar tinta de uma superfície grande, deverá utilizar um fluxo de ar elevado. No entanto, será necessário ajustar o fluxo de ar quando atingir partes mais frágeis. Por exemplo, ao retirar tinta em caixilhos de janelas.